Quarta, 05 de agosto de 2020
11961087400
Internacional

12/04/2020 às 19h01 - atualizada em 12/04/2020 às 20h58

836

INÁCIO TEIXEIRA

Poções / BA

Médicos bonjesuenses em Santa Cruz de la Sierra
Dois brasileiros estudando medicina na Bolívia, contam como driblam o tempo durante a quarentena.
Médicos bonjesuenses em Santa Cruz de la Sierra
Euclides e Verônica na cidade histórica de Samaipata na Bolívia

 Santa Cruz de la Sierra, considerada o centro comercial da Bolívia e Capital do departamento de governo de Santa Cruz, Foi fundada pelos espanhóis no século XVI, onde fica Universidade cristã da Bolívia (UCEBOL), que aportou um casal de brasileiro oriundos de Bom Jesus da Serra, no Sertão baiano .


Estamos falando dos jovens Euclides Meira de Amorim Neto, 27 anos, e Verônica Oliveira Libarino Amorim, 27 anos que recém casados, deixaram Bom Jesus da Serra em 2014 e foram cursar medicina na Cordilheira dos Andes. Formados ao completar o quinto ano de faculdade, são sextanistas do curso de medicina, e internos num sistema obrigatório, prestando serviço no Hospital do SSRO – Serviço Social Rural Obrigatório, parte final para a conclusão do curso.


Filho de Biango – Ademario Barreto e Dona Blandina, e ela de seu Geová e Dona Vera.  Euclides fez o ensino médio no IECEM em Poções e Verônica em escola pública de Bom Jesus. Conta que se preparam psicologicamente pra enfrentar os estudos em outro país e com outro idioma, como também os hábitos culturais e costumes gastronômicos do país. Foram bem acolhidos e não tiveram grandes dificuldades nas adaptações e que mesmo distante a família estava presente.


 



Sobre a pandemia, Euclides conta que o medo sempre aparece, pois não existe ainda um remédio e como médico, estar na linha de frente que pouco se sabe sobre ele, sem contar com as deficiências no sistema de saúde.  Santa Cruz de La Sierra possui somente 21 respiradores destinados para casos de coronavírus.  Foto em treinmento para possivel atendimento no hospital do SSRO.



Palácio do governo As medidas do governo foram ficando mais rígidas à medida que os casos foram aumentando, hoje só se sai na rua uma vez por semana, para comprar alimento e remédio. O exercito vai pras ruas fazer a fiscalização e quem desobedecer a quarentena, poderá pagar multa equivalente a mil e quinhentos reais, e pena de reclusão que vai de 8 horas a 3 anos de cadeia.


Por conta das dificuldades econômicas e políticas, as autoridades foram ágeis na tomada de medidas, as fronteiras foram fechadas e bem como o comércio, por isso  Bolivia confirma 275 casos e 20 mortes,  e é o país da America Latina com o menor número de casos da COVID19.  Por serem estrangeiros, e longe das famílias, um vírus com este de poder destrutivo sempre os deixam apreensivos, e que ocupam o tempo ouvindo musica, cantando louvores e lendo livros.

FONTE: IT

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

1 comentários

Maria Ângela Muskat Rocha

  ·  Poções- ba Esse casal vakevte eu admiro e amo muito Em 12/04/2020 ás 20h09
Veja também
Facebook
Mais lidas
© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium